Notícias

Privada ou híbrida? Descubra qual é o melhor tipo de nuvem para a sua empresa

Privada ou híbrida? Descubra qual é o melhor tipo de nuvem para a sua empresa

O cloud computing é a grande onda de TI já há alguns anos. Nesse meio tempo, as soluções foram tomando forma e se adequando às necessidades de diversos clientes de todo o mundo, consolidando alguns modelos de oferta de serviços que podem ajudar as companhias a serem mais inteligentes. Dois tipos de nuvem se destacam: a privada e a híbrida. Mas o que exatamente faz cada uma delas e para quem elas servem?

A nuvem privada

A nuvem privada, como o nome diz, é aquela em que os dados, os serviços e a infraestrutura são mantidos na própria empresa. Isso oferece um controle sem igual sobre as informações corporativas. Em caso de necessidade, é possível acessar a rede da companhia remotamente, usando uma VPN.

Esse tipo de nuvem é recomendado para quem tem uma empresa cujo negócio é a oferta de dados personalizados ou aplicações criadas in-house. O vazamento desse tipo de informação pode ser muito prejudicial para a companhia e até mesmo afetar o valor das suas ações na bolsa. Imagine, por exemplo, se, de alguma maneira, vaza um trecho do código do WhatsApp que mostra que o aplicativo terá um recurso de videochamadas na sua próxima versão. O valor de mercado do Facebook como um todo pode ser afetado num caso como esse. Portanto, a possibilidade da interceptação de dados sensíveis deve ser minimizada tanto quanto possível, e usar uma nuvem privada é a solução mais segura.

Mas essa solução pode custar caro para a sua empresa. Você precisará ter (e manter) um servidor de última geração (ou o mais novo possível) para armazenar as suas informações. Por isso, é preciso avaliar com cautela a questão do custo desta implementação.

Outra situação em que é recomendável a adoção da nuvem privada é se a sua empresa ou o seu setor faz parte de uma grande corporação que deve atender a padrões de segurança pré-determinados. Nesse caso, talvez, escolher a nuvem privada nem seja uma opção, mas uma obrigação para cumprir os requerimentos de proteção de dados.

A nuvem híbrida

Agora, a nuvem híbrida mistura as funções da nuvem pública, ideal para trabalhos colaborativos, e da nuvem privada. Quem escolhe contratar esse serviço pode, por exemplo, adotar um software na nuvem (SaaS) sem se preocupar com a segurança dos seus dados, que ficarão em uma nuvem privada, protegida por um firewall dentro da companhia. Mais uma vez: a VPN pode ser usada para acessar os arquivos remotamente, em caso de necessidade.

Se o negócio da sua empresa for prover aplicações web para outras empresas, o uso da nuvem híbrida é bastante recomendável. Isso porque você poderá oferecer, por meio da nuvem pública, acesso simultâneo para o programa e os dados gerados ficarão guardados com a segurança de uma nuvem privada. Fora isso, também é possível rodar uma aplicação primariamente em uma nuvem privada e usar a pública para lidar com picos de uso, melhorando a performance geral do app.

O porém é que gerenciar uma nuvem híbrida requer mais gente, mais tempo e mais dedicação por parte da contratante. Contudo, nem a nuvem pública nem a nuvem privada podem ser tão eficazes quanto uma nuvem híbrida. Se a sua empresa, de alguma forma, se encaixa nas situações de uso descritas acima, essa é a melhor opção para você.

Fonte: Gizmodo

Romae