Notícias

Dependência química: o que é e como tratar

Dependência química: o que é e como tratar

A maioria das pessoas não entende porque elas mesmas ou outras pessoas se tornam dependentes químicos. Muitos, erroneamente, veem o uso de drogas e o vício como um problema estritamente social e podem caracterizar aquela pessoa que usa drogas como fraco, sem personalidade e que se tiver força de vontade, pode simplesmente parar.
O que as pessoas geralmente subestimam é o poder que o vício e as drogas têm sobre o dependente. Trata-se de uma doença que atinge o cérebro e por isso simplesmente parar não é uma questão de força de vontade. Os avanços da ciência nos ensinaram como as drogas agem no cérebro e também que o vício deve ser efetivamente tratado como uma doença, e essa visão pode ajudar os dependentes químicos a voltarem a ter uma vida normal.

O que é a dependência química?

A dependência química, ou o vício em drogas, é uma doença mental crônica (que não tem cura) que causa a busca compulsiva por drogas e o uso abusivo, independente das consequências que isso possa causar para o dependente ou as pessoas em sua volta. A dependência química é uma doença mental; o abuso de drogas causa mudanças na estrutura do cérebro. A decisão de tomar drogas é voluntária, mas ao longo do tempo, isso já não é mais uma questão de escolha. A parte do cérebro afetada pelas drogas é justamente a que controla os impulsos e as decisões.

É por causa dessas mudanças no cérebro que é tão difícil para uma pessoa dependente parar de usar drogas. Felizmente, existem tratamentos que podem ajudar os dependentes a contrabalancear os efeitos devastadores do vício e a reestabelecer o controle sobre si mesmo.

A ciência já provou que a combinação de medicamentos certos e terapia comportamental é a melhor maneira de se alcançar o sucesso no tratamento contra a dependência química. O tratamento é desenvolvido de acordo com as necessidades do dependente e pode efetivamente trazer a recuperação e proporcionar uma vida saudável, sem drogas.

Assim como outras doenças crônicas como diabetes, asma ou doenças cardíacas, a dependência química pode ser controlada com sucesso. No entanto, as recaídas acontecem e o dependente tratado pode voltar a usar drogas novamente. Isso não significa que tudo foi um fracasso, mas sim que o tratamento deve ser reajustado para se obter o efeito desejado. Não há problema nenhum em começar tudo de novo quando o objetivo é salvar vidas : a vida do dependente e das pessoas que sofrem com o seu vício, sejam elas próximas ou desconhecidas.

O que acontece com seu cérebro quando você usa drogas?

Drogas são substâncias químicas que interferem no sistema cerebral desviando o caminho pelo qual as células nervosas recebem, enviam e processam informação. Existem ao menos duas maneiras pelas quais as drogam fazem isso: imitando os mensageiros químicos naturais do cérebro e/ou estimulando em excesso o sistema nervoso.

Por que algumas pessoas se tornam viciadas e outras não?
Nenhum fator isolado pode indicar se alguém tem propensão a se viciar em drogas ou não. O risco de dependência é influenciado pela biologia da pessoa, pelo ambiente social, idade e estágio de desenvolvimento. Quanto mais fatores de risco um indivíduo tem, maior a chance de se tornar dependente.

A Prevenção é Importante

A dependência química é uma doença que pode ser prevenida. Os programas de prevenção aplicados nas escolas, igrejas, comunidades e com o envolvimento da família são eficazes no combate ao uso de drogas. Embora muitos jovens achem que as drogas podem ser “legais”, eles mudam de opinião ao perceber as consequências devastadoras do vício. Por isso é importante que a sociedade se mobilize para conscientizar nossos jovens sobre esse risco mortal.

Nunca é tarde para pedir e receber ajuda. Ninguém vence uma guerra sozinho. Aceite a ajuda de quem quer e pode recuperar um dependente químico.

Fonte: Tratamento de Drogas

Romae